quarta-feira, 30 de julho de 2008

Nesse domingo dia 26/ 07 aconteceu em Sorocaba o "Prêmio Sorocaba de Música - 3º Festival Nacional de MPB" e o rock teve sua representação por bandas como Vivant, Hai Kai e Rúmen. Essa ultima que acaba de lançar um novo site com direito a todo material de divulgação de uma banda que, apesar de independente, faz um trampo sério em busca do seu lugar ao holofote.

Rúmen, como já havia falado antes é Hard Rock Tupiniquim onde a guitarra lembra os tempos áureos de Titãs as batidas pesadas e um baixo alucinado que dança em meio à música te transportam ao tempo de long play. Se não fosse a temática moderna de “Realidade Virtual”, o novo single, faria pensar que a banda veio de meados dos anos 70.

Esse trabalho está tendo reconhecimento já que concorreram ao Prêmio Sorocaba de Música. Infelizmente problemas que fogem da competência da banda afugentaram a chance da banda de levar o Prêmio, algo aconteceu com o som na apresentação da Rumen que apagou o baixo e a guitarra, e tratando-se de um super trio a banda foi totalmente prejudicada.

A banda deu duro e, mesmo com os problemas botaram energia no palco e o rock’ n’ roll pra ferver, nada de “banquinho”, nada de “violão”, o “Prêmio Sorocaba de Música - 3º Festival Nacional de MPB” balançou ao som de baquetadas e muita distorção

Descubra a “Realidade Virtual”: www.rumen.com.br

por: Ari Holtz "www.rockalive.com.br"

quinta-feira, 24 de julho de 2008
Estou inaugurando hoje, uma nova fase para nós da Rock Alive, o trabalho está sendo levado cada vez mais a sério, e o pontapé inicial desse trabalho, é essa super entrevista com a banda Muzzarelas, que fez um show bem massa para a galera que estava lá na Toca do Leão, no super evento Misturativa. Os caras nos atenderam na boa, tracamos umas idéias, tomamos uma cerveja, e ai está todo o conteúdo desse papo. Acompanhem o papo:

Entrevista com a banda Muzzarelas - 21/07/008 - 4º Misturativa

RockAlive: "Lá no começo da carreira qual apoio que tiveram? Alguma banda ajudou? Alguma pessoa?"

Na verdade as coisas em Campinas estavam um pouco paradas em 92, com muita banda fazendo cover, como agora. Alguns amigos nos ajudavam a fazer festas pois era a única coisa que nós podíamos fazer , mas o Caio do antigo Basement e Arena nos deu umas gravações no estúdio dele e foi uma boa vantagem na época , pois pudemos gravar nossas músicas não gastando muito dinheiro. Depois o Jão Gordo do RDP produzindo o cd Jumentor.


RockAlive: "Com 17 anos de estrada o que a banda aprendeu sobre a cena independente brasileira? O que mudou nesses 17 anos com a banda e com a cena?"

A cena independente é muito cativante e fiel.
Com a banda, agora sabemos como as coisas acontecem e as dificuldades que vamos enfrentar no local do evento e como vamos fazer para ter algo que nos de respeito.
Com relação ao que está acontecendo, a cena independente esta muito desorganizada, pessoas trabalhando isoladas o que faz com que o público se espalhe, apesar das facilidades da internet.

RockAlive: "O que vocês acham das organizações de eventos independentes e qual a representatividade do cenário na história da musica brasileira?"

Poucas pessoas sabem realmente como fazer shows. Ter uma aparelhagem boa , divulgação etc. Pessoas de nível e profissionais competentes está em falta nesta área, muito gente ainda sem saber como fazer um show de rock. Acho que a música underground demonstrou como é ser independente para alguns artistas que pensavam que só poderiam ter seu trabalho reconhecido com empresários e uma mega estrutura.


RockAlive: "Depois de passar pela Argentina, fizeram um vôo rasante por Sorocaba, fala pra gente das expectativas de voltar a Sorocaba, e o que acharam do evento e da organização do Misturativa, evento em que fizeram uma apresentação neste fim de semana?"

É aquilo que estava comentando, atitudes isoladas não levam a nada, se várias pessoas se unirem para acontecer algo, é bem mais fácil. Tem gente que apesar de termos 17 anos , nuca ouviu falar dos Muzzarelas, hoje as coisas são muito rápidas e se você não ficar em evidência para o público, some e depois é difícil retomar o terreno. Argentina foi muito bom , aprendemos muito com as bandas de lá e com o nível profissional em relação aos espaços para o público underground que curte o tipo de som que a gente faz.

RockAlive: "São varias passagens por Sorocaba, qual a melhor e qual a pior? E o que vocês acompanharam de evolução ou Involução?"

Pois é , o Circadélica foi um marco para Sorocaba, e teve muitas bandas como o Wry, que deram duro para o evento acontecer. É aquilo, se não se mexer é difícil as coisas acontecerem. Não acompanho muito as bandas de Sorocaba , mas deu para perceber que as coisas devem acontecer mais vezes na cidade para que o público comece de novo a saber das bandas que tocam som próprio, independente do estilo musical.

RockAlive: "E pra finalizar, Fala pra gente como está sendo o trabalho com BEERGOD, os shows da turnê, participação em festivais, venda de CDs?"

Beer God Tour 2008 ainda está acontecendo, dia 25 estaremos em São Paulo, dia 8 em Campinas na Livraria Cultura e depois tem o Autorock com várias bandas no mês de agosto . Os shows estão muito bons e o público aceitou bem o CD, as críticas foram boas e as vendas quase tudo já foi vendido ( 1000 cópias ) . O cd foi lançado no Japão e Argentina. Tocamos 4 dias em Buenos Aires e locais próximos de lá, muita gente gostou e provavelmente devemos voltar ano que vem.

segunda-feira, 21 de julho de 2008
Hell, Hell, Hell, Hell!!!!

Acho que na noite de sábado, foi esse o grito de guerra que esquentou os ânimos e levantou galera.
Foi uma pena, mas perdi o show da banda INI, que pelo que fiquei sabendo teve uma super jam com o Márcio vocal da banda Pugna, na sequência eu já estava por lá quando entrou a banda Esbornia com um som sujo e pesado, regularam bem o som e fizeram tremer as paredes da Toca, sem a preocupação se o telhado ia cair na cabeça deles, levaram a galera a uma sincronia em massa de chacoalhar de cabeças, deu pra perceber que os seguidores da banda estavam lá (e até depois no fim do texto vou fazer uma crítica), Diabilly´s fez a galera dançar, dançar, dançar e provar um pouco do baile dançante da HELL!! legal pra carai, mais uma banda que trouxe seus seguidores e mostrou porque tava lá(depois faço um pequena critica), pra encerrar a banda Muzzarelas veio mostrar à que veio, e veio pela Décima vez, mostrar a nós sorocabentos com é que se faz a parada.

Shows a parte, parabéns ao Rodrigo, que tá levando tudo no peito e fazendo acontecer, O Misturativa está se fortalecendo e ja é uma realidade, a "fundação está pronta, a base da construção está implantada, agora acho que vão começar a subir as paredes, seguindo com os eventos, corrigindo os defeitos, aprimorando o que já está bom, agora, chegar ao acabamento ainda vai levar um tempo, como eu estava lá pra fazer uma matéria sobre os Muzzarelas, pensei porque não, escrever algo sobre a estrutura, sobre o publico, e vamos lá, acho que a cada avento agente percebe a evolução que está acontecendo, pra essa edição o som já tava mais bacana, mas acho que da pra melhorar, e muito, e como disse, é uma evolução a cada mês, tijolo sobre tijolo, a galera era boa, mas dava pra ter muito mais gente, agora vem a critica aos seguidores, as bandas tem que dar um jeito de fazer o seu público aprender a curtir os eventos por completo, num é só chegar lá ver o show do amigo, e pronto, vamos embora que já fiz meu papel, tem que apreciar tudo o que rola, tem que contemplar, e não estou dizendo que você tem chegar bem cedo e sair por último, mas também acho muito estranho chegar na hora do show da banda do amigo, e depois que ele toca pronto, acabou a noite, agente tem participar mais, e isso é que vai fortalecer cada vez mais o nosso tão querido rock, que não é só um som, é um estilo de vida! blaá blá blá.. tou falando muita merda...É mais ou menos por ae, acho que todos têm que cooperar, porra, o Rodrigo traz a banda, se rala, vocês pagam, e na hora que os caras vão tocar, tem meia dúzia de gente assistindo ao show, só posso analisar que tem algo de errado e isso tem q mudar... as próprias bandas, que tocam fazem seu show e pá, vão embora.. acho estranho.. mas depois não podemos reclamar de ficar lá tocando por último porque ninguém assiste, também são vocês os primeiro a tocar e ir embora.. fica ae a minha critica de merda pra vocês... acho que temos q respeitar mais tudo oque está acontecendo, porque nós estamos fazendo acontecer, independente de o que ou como, importante é que estamos fazendo, agora, se o negocio não virar...e ai como que fica? então acho que devemos nos mobilizar em uma mesma direção, cada um fazendo e bem a sua parte... BANDAS.. SE COMPROMETAM COM AS COISAS QUE PARTICIPAM.. SÓ É BOM PRA VCS MESMOSS.

vou resumir toda essa babozeira que escrevi...
Misturativa de Parabéns, cada vez mais sucesso, mas acho que tem, e pode melhorar pra carai ainda..
ao publico...muito bom... mas quero ver mais gente, e mais fiéis não só as bandas, e sim a todo o movimento que acontecer por ae..
e as bandas... se comprometam mais com o que fazem..porque ser participavo não é so chegar lá e tocar.. acho que as bandas podem e devem se envolver mais e mais com tudo oque acontece... e parar de pensar só unilateralmente..

Dougrass "Crazy Rock" - Rock Alive
quarta-feira, 16 de julho de 2008


Zine é, por concepção, um meio de comunicação alternativo que foge dos padrões usuais para passar informações sobre as minorias (sociais ou numéricas) para uma população que não tem acesso à essas informações.

“A Corda” é um zine que bate de frente com toda a síndrome-de-socialite sorocabana e faz um raio x de uma juventude excluída no que tange apoio, mas totalmente independente no que diz respeito à informação.

Nesse Sábado (05/07) rolou em Sorocaba - SP, mais especificamente na Toca do Leão, um show que teve como objetivos levantar fundos para o zine “A Corda’, com shows de Jeca e Javalis do Brejo, Monstruário e Leptospirose!

Apesar do pouco público devido á motivos que não merecem ser tratados aqui a festa foi completa, produção de primeira, som regulado e rock rolando. Jecas e Javalis do Brejo abriram a noite, inéditamente no horário previsto, com um rock puro e cheirando a cerveja. Monstruário é um trio que merece atenção em Sorocaba, uma união monstruosa (com o perdão do infame trocadilho) de três caras que sabem fazer rock e fazem sem dó, ótimo timbre, baixo inquieto e bateria nervosa que fazem dos monstros uma alternativa sonora quente para tempos de frio musical, Honky Tonk Guys que ainda vão dar muito que falar. Para fechar, de Bragança Paulista veio o Leptospirose com um punk que salta aos ouvidos por se tratar de um som muito bem feito, matando a pau os que dizem que punk é nas coxas e trazendo algo que falta a muitas bandas: a criatividade em cima do que é simples, faz lembrar os imortais, faz ter vontade de pular então, não se contenha pois o torcicolo vai valer a pena.

Ouça mais dessas bandas, com certeza vale o download:

Jecas e Javalis do Brejo: www.myspace.com/jecajavali

Monstruário: www.myspace.com/monstruario

Leptospirose: www.myspace.com/leptospirose

Por Ari Holtz Neto ‘Rock Alive’

VOTE!!!

Visitas

Blogs de amigos