segunda-feira, 25 de agosto de 2008

Como vocês puderam conferir no post anterior o BNegão passou pela cidade e deu uma entrevista exclusiva pra gente da Rock Alive. Não contente em falar com o cara Aldren Canuto fez um relato vívido do que foi aquela noite chuvosa, porém quente e sonora. Leiam e sintam:

9 de agosto de 2008, numa travessa da Voluntários de Sorocaba, na rua Machado de Assis, ali no numero 112, um clima de expectativa e ansiedade se manifestava. Por volta de 0:10 a banda de reggae de São Miguel Arcanjo Tia Paka, começa a desferir os primeiros acordes em cima do palco, a chuvosa noite de sábado não poderia começar melhor num ritmo dançante uma apresentação calorosa tranqüilizando o clima de ansiedade do público, e levantando uma atmosfera contagiante e serena que ficaria pela noite toda.

Com um repertório caloroso e intimista que foi desde clássicos de Bob Marley, passando por sons influentes do reagge nacional, e uma excelente re-leitura e adaptação de “Don’t let me down” dos Beatles sendo um dos pontos altos da apresentação que se estendeu por aproximadamente 1 hora com também ótimas músicas de autoria da própria banda, músicas enérgicas e envolventes, e assim foi dada a largada para o que mais tarde seria mais uma noite de glória digna do clube 28.

Em seguida, a banda de Sorocaba P S R sobe ao palco, com uma pegada forte levou a galera que estava aquecida a se mexer ainda mais num divertido bate-cabeça , banda que entrou esbanjando carisma com o publico desferindo chavões como o racha coco, conseguiu manter a força por durante toda apresentação, entusiasmando o publico com ótimas rimas, no mais puro improviso, mostrando força de criatividade com pedais de bateria pulsando e deixando a impressão que as estruturas do recinto não resistiria a pressão e a sonora que levou a galera num ápice que a muito não se era visto na cidade.

A madrugada já ia adentrando cada vez mais, mas o tempo parecia ter se tornado irrelevante com X-4 no palco. Começou com guitarras tinindo, e o público não demonstrava o mínimo sinal de cansaço, pelo contrario, cada vez queriam mais e mais, como se estivessem hipnotizados, e a banda em ótima harmonia e numa das mais perfeitas junções de hip - hop com rock n’roll, tranqüilizava os tímpanos daquele pessoal sedento por diversão.

Vale destacar também o rico conteúdo das letras com o melhor que a poesia de rua pode oferecer, envolvidas por riffs brilhantes e metais estridentes, pregando a palavra do skate a banda conseguiu uma ótima identificação com a galera, e com maestria fazer o desfecho da difícil tarefa de entreter um grande público que aguardava ansiosamente a grande apresentação da noite, e juntos com o P.S.R e o Tia Paka, mataram a pau, e mostraram toda a força e qualidade da música independente.

E a noite já era quase manhã, no palco estava a mesa com pick-up, microfones, e um trompete. Tinha chegado o grande momento, B-Negão e Sound System estavam no palco a galera se aglomerava em frente ao palco para ver, apreciar toda a classe sonora do grande artista da noite, que começou encantando e colocando o público que ainda estava presente em massa naquele começo de domingo para dançar.

Com ritmos diversificados que passavam do funk ao samba com pitadas latinas, e vários elementos de hip-hop, tanto na maneira de entoar os vocais quanto os solos em Beat Box, criando uma serie de ápices por durante toda a sua apresentação B-Negão e Sound System arrancaram aplausos efusivos de todos ali presente por durante toda a apresentação, com um swingado sem igual.

Com uma grande bagagem musical, B-Negão fez valer a pena à espera, e não hesitou em mostrar o que tinha de melhor para aquela noite, presenteou o publico com um show sem igual, um grande show, do tamanho de tudo que ele representa para a música brasileira.

Foi uma noite que a muito não se via na cidade, com música de qualidade por todo o momento, e a junção de varias tribos com culturas e ideologias diferentes, celebrando a noite como um culto ao lazer e a liberdade de expressão através da arte, tudo na mais perfeita harmonia e diversão.

segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Como já cansamos de colocar aqui, a Rock Alive é uma união de pessoas que dão as mãos e buscam caminhar juntas, foi nesse espírito que Aldren Canuto se dispôs em correr para o show do B-Negão e Sound System quando descobriu que nem eu nem o Douglas poderíamos ir.

O cara foi atrás, com a cara, coragem e um guarda-chuva entrevistou o B-Negão e fez um relato vívido do que foi essa noite de som forte no Clube 28.

Abaixo você pode conferir a entrevista dada a Rock Alive com exclusividade nessa passagem do cara pela cidade em uma tarde de dilúvio, se liga na lição:

ROCK ALIVE: Cara, você lançou o disco “Enxugando o Gelo” em 2003, o disco foi disponibilizado na Internet recebeu vários prêmios e você se tornou um dos pioneiros no país a abraçar o conceito de copyleft.

Você acredita que a Internet democratizou a música com as facilidades de divulgação?

B-NEGÃO: Com certeza. A questão da Internet, antigamente as pessoas dependiam de um meio de comunicação que apresentasse as músicas ou de alguém, algum camarada que conhecesse um esquema trabalhasse em alguma agência de turismo ou fosse milionário e viajasse pra fora e pelo Brasil mostrando as músicas. Hoje em dia, graças a Deus é uma coisa que qualquer pessoa pode chegar junto.

RA: A pirataria vem prejudicando a indústria fonográfica e os artistas que fazem parte disso, você acredita que a Internet possa combater a pirataria? E até que ponto?

BN: Cara, uma parada que é foda é assim, um cara que ta falando contra a pirataria, primeiramente o cara tem que falar contra o jabá, essa parada de pagar pra tocar na rádio, isso com certeza prejudica 100% muito mais a música. Então assim, a maioria da galera que reclama da pirataria, é a galera que banca um jabá forte.

RA: Legal, e falando um pouco sobre música independente; Você que é um músico conceituado e reconhecido em todo país tocou e vem tocando em vários lugares e regiões do país. Como você vê a cena independente em todo o país hoje?

BN: Cara hoje em dia tem muita banda boa, e vem conseguindo fazer bons discos, até porque com a tecnologia de hoje você pode tirar um timbre legal sem precisar ta num estúdio caro, podendo fazer isso em casa e tal.

E também tem muita gente conseguindo fazer disco bom, mas não estão conseguindo “desaguar” isso, não tem radio, não tem muito meio, e a distribuição de disco ta cada vez pior, com toda essa confusão com esse negócio de disco indústria de disco e “blá blá blá” a pior parte é a distribuição aqui no Brasil., ta muito impressionantemente ruim isso ai, nossos discos você não sabe se vai conseguir chegar nas pessoas, a não ser se as pessoas forem nos shows pra pegar e tal, mas ta muito ruim.

RA: Antes da sua projeção com o Planet como você via a cena independente antes?

BN: Então, a cena independente na verdade o que aconteceu, nos anos 90 veio uma galera totalmente independente, uma galera que veio de k7, fita demo, que eram comercializadas nos shows e minha banda chegou a vender assim 3 mil fitas demo, e tinha umas bandas muito boas, muito boas mesmo, uma cena muito foda, de vários festivais clássicos que rolavam tipo, em campinas tinha o junta tribo, que é clássico assim.

RA: Em Sorocaba temos uma grande quantidade de bandas de qualidade, porém falta apoio do poder público e privado para que as coisas aconteçam.

Que mensagem você pode passar para as bandas e os gestores?

BN: Cara, para as bandas é ir, seguir tocando e tentar achar meios de fazer a própria parada dentro da própria cidade ou cidades vizinhas, se organizarem para divulgar as coisas. Sem organização não tem jeito, sacou? Não da pra ficar naquela de “ah sou músico a minha parada é tocar” já não existe mais isso. Tem que ta organizado.

E na versão dos caras, eles tem que se tocar, pq na verdade, faz uma diferença pra cidade ter uma cena. Você vê cidades que se mexeram sobre isso, eu lembro Goiânia, eu lembro que no começo, nos anos 90, Goiânia não tinha nada; Cidade do rock era Brasília, Brasília tinha tudo Goiânia não tinha nada, e os caras foram fazendo, fazendo, fazendo, e hoje em dia eles são considerados a cidade do rock. Goiânia nacionalmente, porque não ficaram “ah não da pra fazer” e ninguém se mexeu. E outra, na galera de banda, essa é uma coisa que fez muita diferença na cena de Recife, dentro de Goiânia também, além de tocar, tem que ter alguém com organização e crânio suficiente para se meter dentro das burocracias sacou?

Isso é fundamental porque hoje em dia ta relativamente fácil conseguir apoio dentro dos parâmetros se você fizer todos esses negócios tipo editagem e tudo mais, tipo saber mexer dentro da burocracia sacou? Pra pegar o apoio, não só ficar no “tenho uma banda me da uma grana ai pra por no cartaz” sacou? Não é isso na verdade.

A parada é você chegar e falar “tenho uma cota de patrocínio você reduzir não sei tanto no seu imposto e blá blá blá” é chato pra caralho mas funciona, e isso fez diferença tanto para Recife quanto pra Goiânia e todas as cidades que conseguiram evoluir dentro dessa parte, fazendo festival...

Sei lá agora, em Cuiabá... Final de semana que vem Festival Calango, então é a mesma coisa quando não estava se mexendo não tinha nada na cidade, se mexeu pegou a lei do incentivo e começou a rolar as paradas.

RA: E pra encerrar quais as expectativas hoje de tocar em Sorocaba, conhece alguma banda daqui? E na sua carreira quais os seus planos daqui pra frente?

BN: Então a minha expectativa pro show normalmente é não ter expectativa (risos) é uma parada que eu aprendi com o budismo, é lendo sobre budismo e tal e o preceito em alguns anos da minha vida tem feito uma diferença fodida.

E não conheço nenhuma banda daqui de Sorocaba no momento, acho que se não me engano conheci algumas coisas dos anos 90, mas agora não me lembro exatamente qual a parada então posso cometer alguma gafe.

Mas de coisas que eu to fazendo, to lançando o Turbo Trio que é uma banda eletrônica, no Brasil e Japão, ai estamos gravando o cd “to de freqüência nova” com o seletores de freqüência e to com a 3 bandas o turbo trio, o seletores de freqüência e o sound system que é a que vamos tocar hoje aqui. E estamos fazendo show direto, pelo Brasil todo e Europa e é bem maneiro.

RA: Cara muito obrigado! Super valido, bom show, e sucesso!

* Aldren Canuto é músico de Sorocaba e um cara que corre com entusiasmo pra fazer virar a cena independente.

terça-feira, 12 de agosto de 2008


Nós da Rock Alive viemos hoje ao blog fazer justiça, falar e agradecer a todos que ajudaram que essa rádio e essa iniciativa começasse não com o pé direito, mas com os dois pés no peito. Hoje a rádio é um sucesso e também devemos nos desculpar com todos que não conseguiram acessar a transmissão ao vivo do Festival Calango, mas ainda estamos com um número limitado de acessos à rádio, problema que está sendo resolvido.

Esse êxodo em busca de boa música se deve sim às parcerias como o Misturativa Produções, Torneira Produções, Blog 'O outro lado do muro', Bolg Pequi Rock, Programa Reator e ao Pedro que comanda as coisas de lá e nos deu espaço, ao Portal Fora do Eixo que é outro que da um gás forte na cena independente. Estão todos linkados ao lado e merecem, sem dúvida, uma visita.

Então, muito obrigado ao time que nos impulsiona, a galera que vai nos deixando passar e a todos que entram ouvir a rádio aqui no blog buscando o melhor da cena independente.

por: Ari Holtz "www.rockalive.com.br"
sábado, 9 de agosto de 2008

A Radio Rock Alive, trasmite nas noites de Sábado (09/08) a partir das 20h e Domingo 10/08 a partir das 18h, uns dos maiores festivais do País - o FESTIVAL CALANGO. confira mais infos no SITE

Quarenta e duas bandas de todo o país e duas internacionais se apresentarão nos dias 08, 09 e 10 de agosto, no Centro de Eventos do Pantanal. São 17 atrações do Centro-Oeste, sendo 15 locais e 02 de Goiânia, além de outras 05 do nordeste, 04 do norte, 12 do sudeste, 02 do sul, 02 gringas e 02 internacionais.

Entre os artistas que se apresentam nesta sexta edição do Calango estão as já anunciadas Papier Tigre (FRA), El Mato Un a Policia Motorizado (ARG), Cascadura (BA) e Cabruêra (PB).

O festival apresentará também um esquadrão instrumental formado pelas melhores bandas do segmento hoje no Brasil, são elas, Macaco Bong (MT), Fóssil (CE), Pata de Elefante (RS), Hurtmold (SP), Elma (SP) e ainda Ebinho Cardoso Trio, de MT, que estréia sua participação em festivais de música independente.

O line up conta ainda com o folk rock da conterrânea Vanguart (MT) e também a mineira - The Dead Lover's Twisted Heart (BH), além do pop e indie das paulistas Jumbo Elektro e Cérebro Eletrônico, Filomedusa (AC) e Revoltz (MT).

Do hip hop constam a Mamelo Sound System (SP), Contra Fluxo (SP) e o Linha Dura (MT), que vem mesclando a linguagem das pick ups com ritmos folclóricos mato-grossenses.

O público ainda poderá curtir o stoner da MQN e do AMP (PE), o samba rock da Do Amor (RJ) e ainda o pop psicodélico da Supercordas (RJ) e o soul dub da Curumim (SP). Confira a programação completa logo a seguir.


SÁBADO - 09/08

02:30 - Hurtmold (SP) - Instrumental
http://www.myspace.com/hurtmold

02:00 - Macaco Bong (MT) - Instrumental
http://www.myspace.com/macacobong

01:30 - Cérebro Eletrônico (SP) - Pop
http://www.myspace.com/cerebroeletronico

01:00 - El Mato Un a Policia Motorizado (Arg) – Indie Rock Psicodélico
http://www.myspace.com/elmatoaunpoliciamotorizado

00:30 - Linha Dura (MT)- Hip Hop
http://www.myspace.com/linhadura

00:00 - Filomedusa (AC) – Rock’n Roll
http://www.myspace.com/filomedusa

23:30 – Walverdes (RS) – Rock Garage | Alternativo
http://www.myspace.com/walverdes

23:00 - Strauss (MT) – Indie Pop
http://www.bandastrauss.com.br

22:30 - Do Amor (RJ) – Samba Rock | Carimbó
http://www.myspace.com/doamor

22:00 Lopes (MT) – Rock’n Roll
http://www.tramavirtual.com.br/lopes

21:30 - AMP (PE) – Alternativo
http://www.myspace.com/amprockrecife

21:00 - Three Pockers (MT) - Indie Rock

20:30 - The Dead Lover’s Twisted Heart (BH) – Folk Rock | Disco Rock | House
http://www.myspace.com/thedeadloverstwistedheart

20:00 - Hey Hey Hey (RO) – Indie
http://www.myspace.com/bandaheyheyhey

19:30 - Banda Compacto.Rec


DOMINGO - 10/08

01:00 - Vanguart (MT) – Folk Rock
www.myspace.com/vanguart

00:30 - Cabruêra (PB) – Influências: Rock, Reggae, Choro, Forró, Xote, Maracatu, Tribal, Instrumental e experimental
www.myspace.com/cabruera

00:00 - Contra Fluxo (SP) – Hip Hop Experimental
www.myspace.com/contrafluxo

23:30 - Supercordas (RJ) – Pop Psicodélico Experimental
http://www.myspace.com/supercordas

23:00 - Rhox (MT) - Rock
http://www.myspace.com/rhoxcba

22:30 - Curumim (SP) – Soul | Dub
http://www.myspace.com/curumin

22:00 Porcas Borboletas (MG) – Pop Rock | Alternativo
www.porcasborboletas.com.br

21:30 - Snorks (MT) – Punk Rock
http://www.myspace.com/snorksmt

21:00 - Fossil (CE) – Post Rock
http://www.myspace.com/fossilsoundtrack

20:30 - Revoltz (MT) – Alternativo
http://www.revoltz.com.br

20:00 - Elma (SP) – Instrumental Metal
http://www.myspace.com/hellma

19:30 - Ayakan (MT) - Metal
www.myspace.com/bandaayakan

19:00 - Filhos de Empregada (PA) – Rock Dream Pop
www.myspace.com/filhosdeempregada

18:30 - Stereovitrola (AP) – Rock Alternativo
http://stereovitrola.zip.net/

18:00 Aoxin (MT) - Hardcore
http://www.myspace.com/aoxinrock

Veja também:

sexta-feira, 8 de agosto de 2008

No próximo sábado, dia 09/08 a A2 Instrumentos Musicais vai dar mais um passo na trajetória de sucesso da loja que já se tornou um referência em instrumentos na cidade de Sorocaba.
A loja dos músicos, dirigida por músicos e que tem funcionários músicos, tudo isso pra oferecer um atendimento diferenciado e fornecer informações para ajudar na escolha do instrumento mais adequado a cada situação.
Inaugurando uma nova fase, com a loja totalmente remodelada e ampliada, a A2 inicia o projeto de pocket shows com uma das bandas mais representativas do cenário independente sorocabano - El Cabong.
A banda que já tem mais de 10 anos de estrada é diversão garantida onde quer que se apresentem, pois fazem um som ska-nerd-core com letras bastante irreverentes. Um dos principais diferenciais da banda é sua formação - uma cozinha (guitarra, baixo e bateria) juntamente com um trio de metais que são garantia de chacoalhar o esqueleto.
Vamos nos encontrar lá amanhã para conhecer a nova loja e conferir o som dos brother do El Cabong.
Inclusive eles estarão se apresentando no 6º Misturativa em setembro, juntamente com Rumen e Paletó em Brasília.

Serviço:

Pocket Show El Cabong na A2 Instrumentos Musicais
Local: Coronel Cavalheiros, 338 - Centro - Sorocaba
Horário: 15 horas
Entrada: Free
Data: 09/08

VOTE!!!

Visitas

Blogs de amigos